A guerra colonial também foi uma ruptura em cada um de nós. Deixou-nos muitas interrogações. Foram-nos ensinadas muitas técnicas de combate, algumas de sobrevivência, e só raramente fomos preparados para o regresso à vida civil.
publicado por Alto Chicapa, em 23.01.10 às 22:19link do post | favorito

Alto Chicapa 1972/74


Havia muitos afrodisíacos naturais. Utilizavam-nos ao mais pequeno sintoma de fraqueza e, em muitos casos, devido ao excesso de mulheres e a uma alimentação deficiente.
 

Nos meus apontamentos registei:
 

A planta Mundundo – Retiravam da entre casca uma espécie de raspas moles de cor avermelhada com as quais faziam infusões. Nós, os europeus chamávamos-lhe o Pau de Cabinda do Leste. A sua acção era tão intensa, que a excitação era capaz de durar toda a noite.
 

As Cantaridas – Um insecto, que depois de seco era transformado em pó. Quando necessário, era misturado numa bebida ou na comida para provocar uma excitação rápida e intensa.
 

A planta Mundonda – A acção afrodisíaca era obtida através da seiva e das raízes mastigadas. Era utilizada pelas mulheres, que queriam ter um maior prazer sexual.
 

A planta Mulolo – As mulheres usavam-na com frequência para receberem e darem mais prazer. A raiz desta planta era usada para friccionar a vagina e ajudar a distender e a dilatar os pequenos lábios e o clítoris.
 

Sá Moço, sendo, ele, consumidor frequente de afrodisíacos naturais, dizia-me com frequência.
- Tudo o que sirva para estimular o pénis (lukutu), excitar a vagina (sundji) ou provocar prazeres múltiplos, é bom, porque um homem ou uma mulher sem desejo, são cadáveres vivos.
 

A seguir - O homem

 

Carlos Alberto Santos

 


paragemleste a 25 de Janeiro de 2010 às 21:11
Eu bem digo! abaixo viagras, cialis e pataniscas....acima o pau!!
Esta das plantas fez-me recordar uma raiz que me deram a conhecer nas minhas acçoes de psico-social.Dessa raiz, que se extaía a uma profundidade de +- 30cm naquele solo arenoso, depois de infusão em alcool durante tres dias, obtinha-se um liquido espesso com um aroma muito intenso a balsamo, e que eu aplicava com muitos bons resultados a todos que sofriam de reumatismo, dores musculares, dentes...enfim; foi testemunha deste episódio o dr.Vila Verde que me pediu para identificar a planta e, da qual trouxe amostras da casca, e o sr.Reis que foi administrador de posto no A.Chicapa, cuja esposa sofria muito com dores reumatismais e na qual apliquei com massagens a dita infusão;nunca mais, pelo menos lá, precisou de injecções de vitamina B1+B2.
Isto de plantas....ía aborrecer muitos laboratórios!
Um abraço do Carvalho

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22

24
25
26
28
29
30



arquivos
pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds